Você já se deparou com “pessoas problemas”?
Eu vou te contar como vejo as “pessoas problemas”:
“Pessoas problemas” são seres que, em algum momento do seu crescimento e em algum setor de suas vidas, não receberam a Energia do Verdadeiro Amor e, consequentemente, não aprenderam o que é a Essência Amorosa.
E então, eles nos falam, ou melhor, gritam o seguinte pensamento:
– “Já que eu não conheço o Verdadeiro Amor, quero saber quem realmente conhece!“;
– “Já que eu não aprendi o que é o Verdadeiro Amor, quero saber quem realmente tem condições de me ensinar!“.
 
Porque “pessoas problemas” te provocam?
As “pessoas problemas” agem com “provocações” para desestabilizarem quem está próximo, simplesmente para saberem quem olhará para eles com Amor.
Desta forma, percebem quem tem condições de ensiná-los o que é o Amor Verdadeiro, o Amor sincero e puro.
Com essa atitude provocativa, as “pessoas problemas” acabam por descobrir o que não é bom para elas mesmas. E provocam através de atos e palavras que pedem para que os outros lhe imponham limites. E, a meu modo de ver, fazem isso porque querem saber quem os ensinará, a partir de atitudes e comportamentos,  o respeito ao próximo e assim saberão quais são os seus próprios limites.
 
Como colocar limites a “pessoas problemas”?
Saiba que: “pessoas problemas” aprendem o Amor apenas quando os limites lhes chegam isentos  das energias da raiva, da tristeza, da mágoa, da decepção e outras similares.
Pois essas energias eles conhecem muito bem e já sabem bem como são, essas energias já são suas velhas conhecidas: eles as percebem e  identificam rapidamente, mesmo quando disfarçadas e/ou escondidas.
Então para dar limites é necessário que se faça dentro de uma energia amorosa, o limite é colocado de modo firme e sem remorso.
 
O que as “pessoas problemas” desejam, afinal?
“Pessoas problemas” querem descobrir quem os ensina com Amor, quem realmente sabe o que é a Essência Amorosa.
“Pessoas problemas” querem saber quem demonstrará a elas, através de ações, a consciência do Verdadeiro Amor, cujo princípio envolve a ambos: quem dá os limites e quem os recebe.
Querem aprender que o Verdadeiro Amor, na prática, envolve acolhimento e respeito Incondicional entre todas as partes envolvidas em suas relações, lembrando que a Essência Amorosa pede para que o respeito, a atenção, a consideração sejam exercidos a si e ao outro.
 
Como ensinar “Pessoas problemas”?
É necessário atentarmos para o fato de que o Amor, em sua Essência, promove o equilíbrio, o desenvolvimento, o crescimento de todos. Se preferir, posso dizer que os direitos e os deveres são os mesmos para todos.
Para os olhos Amorosos, ninguém é melhor ou merece mais, assim como ninguém é pior ou merecedor de menos.
Para os olhos Amorosos, os limites são dados sem julgamentos e com imparcialidade, sabendo que todos estão no mesmo patamar, todos estão em busca do crescimento espiritual e a Energia Amorosa é a Essência desse crescimento.
“Pessoas problemas” estão pedindo auxílio. E poderemos ajudá-las na medida em que cultivarmos em nós a Consciência dessa Essência Amorosa.
 
Do quê as “pessoas problemas” precisam?
“Pessoas problemas” são aquelas que mais precisam ser Incondicionalmente Amadas e respeitadas, pois só assim aprenderão a Amar Verdadeiramente e a respeitar o outro Incondicionalmente.
 
Como lidar com “pessoas problemas”?
Seguindo essa forma de reflexão, tenho uma sugestão: antes de desejar que “pessoas problemas” se modifiquem, modifique em você o conceito de “pessoas problemas”. Ame-as e envie a elas todo o seu Incondicional Amor, respeitando-as e compreendendo-as primeiramente.
Desta forma, você verá a Força modificadora da Essência Amorosa atuando em tudo e em todos ao seu redor.
Lembro a você que o Amor Verdadeiro é a maior Força de Cura e de Transformação positiva existente no Universo.
 
E termino com a tão conhecida frase de Mahatma Gandhi:
Seja você a mudança que quer ver no mundo.”
 
Namastê,
Marcos Simões
 
Você quer compartilhar?
Prefira os botões: curtir, tweet e enviar por e-mail.
Compartilhe também os créditos e links.
 
Links:
Você gosta de “dar bons conselhos”? Saiba por quê.
Os seus relacionamentos são saudáveis?
Responder ou reagir?