Um dos grandes feitos de José Argüelles foi decifrar o calendário maia e trazer para a atualidade um sistema de contagem do tempo baseado nos movimentos do nosso Sistema Solar em relação à nossa Galáxia.
O calendário maia entende o tempo a partir de 13 luas de 28 dias, uma medida de exatidão biológica da órbita do nosso planeta ao redor da sua estrela, o Sol. Seria este um padrão de medida perfeito, que coordena e sincroniza as fases da Lua com os ciclos galácticos e o tempo.
Argüelles propôs a retomada de um calendário baseado nos ciclos da natureza Universal: o Calendário da Paz, atualmente levando o nome de Sincronário da Paz, acreditando que quando a Humanidade reassumir a contagem natural de tempo (numa frequência natural 13:20), cada Ser na terra se realinhará com a natureza e sua constante transformação, assim como com o seu verdadeiro Ser.
Em consequência, a Paz se fará em toda a Terra, uma vez que estaremos conectados com os ciclos naturais da Galáxia.
 
Os ciclos galácticos
Seguindo este sistema, um ciclo completo se compõe de13 ciclos lunares de 28 dias por ano solar, perfazendo 364 dias, terminando em dia 24 de julho. Um novo ciclo inicia-se em 26 de julho.
No dia 26 de Julho recomeça um novo ciclo com o nascimento astronômico de Sirius, que se eleva no horizonte junto com o Sol, trazendo uma energia de limpeza e purificação interior, trabalhando sutilmente nossos corpos sutis, principalmente o emocional.
 
E o dia 25 de julho?
25 de julho é o Dia Fora do Tempo!
Para aqueles que seguem a frequência natural 13:20 da Lei do Tempo, o Dia Fora do Tempo é um dia muito importante, pois está entre o fim e o início de um ciclo galáctico de 364 dias.
Segundo os antigos maias, o Dia Fora do Tempo manifesta uma maior conexão com a Essência Geradora de Vida, e eles paravam suas atividades para orar, meditar e receber a orientação interior. Dedicavam-se, também, a perceber os próximos passos a serem dados no Caminho em direção ao Pai.
Sendo assim, o dia 25 de julho é um dia para recolher-se e refletir.
Um dia para comemorar a Evolução Espiritual da Humanidade.
Um dia de pausa no tempo, a fim de que todos os Seres Humanos possam “ter tempo” para reconectarem-se com o próprio centro individual, com o Centro Galáctico, com a Sincronicidade Universal e com a Harmonia Cósmica!
O Dia Fora do Tempo é um dia para meditar e vibrar pela Terra e por toda a Humanidade.
É um dia dedicado ao Amor, à Arte, à Gratidão, à Perfeição e ao Perdão.
Um dia para reciclar, recomeçar, recarregar as energias, liberar o que já não nos serve mais e para agradecer por tudo o que foi recebido no período anterior em todos os aspectos.
Conta-se que os Maias comemoravam este dia em festa, fazendo um “fechamento” do ciclo anterior, preparando-se para o novo ciclo.
 
Meditação Ponte do Arco Íris
Para comemorar o Dia Fora do Tempo, a “Rede de Arte Planetária“, sugere a Meditação do Arco-Iris, sintonizada por José Arguelles.

Uma meditação com os mesmos objetivos:
Meditação: Tornando-se Um com o Centro da Galáxia
Feliz Dia fora do Tempo!
Tania Resende

 
Rede de Arte Planetária: organização mundial dedicada a disseminação do Calendário das 13 Luas e da Lei do Tempo.
 
Para compartilhar:
Use os botões “curtir” e “enviar por e-mail”, acima do post.
Compartilhe também os créditos e links.
 
Cursos Anima Mundhy?
Consulte agenda